Dicas

Veja 10 dicas do que não fazer durante a procura por emprego

1 – Se inscrever em todas as vagas
É importante se inscrever apenas em empregos que se alinham com os seus objetivos globais de carreira. Quem opta por essa estratégia corre o risco de ficar preso em um novo trabalho que pode começar a odiar depois de três meses.

2 – Usar apelidos no endereço de e-mail
Nessa situação, menos é mais. Use endereço de e-mail simples e profissional que não dê aos empregadores uma impressão errada. A melhor aposta é usar variações do primeiro e último nome. Apelidos e palavras em diminutivo devem ser esquecidos.

3 – ‘Embelezar’ a experiência profissional
Os profissionais devem evitar o constragimento de “embelezar” o currículo ou a experiência profissional, pois existe uma grande possibilidade de ser pego e descoberto. O mundo dos negócios é um lugar altamento conectado, por isso, ser considerado “culpado” por melhorar seu currículo não é só uma atitude pouco profissional, mas também é um ato extramamente antiético.

4 – Se inscrever no emprego que tem o salário mais alto
Somente porque um determinado trabalho não se encaixa com a sua pretensão salarial não significa que ele não poderá ser negociado depois ou durante o processo de entrevistas. Na verdade, 100% dos empregadores aceitam negociar, sendo que 90% esperam um pouco de negociação por parte dos candidatos. Profissionais que dão muita importância para o salário informado e se esquecem da possibilidade da negociação podem estar limitando suas opções de carreira.

5 – Dizer para seus colegas de trabalho que está procurado um novo emprego
Espalhar a notícia de que está procurando um novo emprego no seu ambiente de trabalho não é uma manobra inteligente para a carreira. Além de poder receber “uma notícia ruim” do chefe, o profissional pode acabar sem emprego e sem referência para uma nova oportunidade.

6 – Colocar os pais como única referência
Isso pode funcionar para quem está no ensino médio e busca pela sua primeira oportunidade de trabalho ou para uma vaga no supermercado local, mas isso não funciona no mundo profissional. Obviamente existem exceções, caso o profissional só tenha trabalhado no negócio da família e quando os pais foram os chefes. Mas, é importante não deixar o empregador pensando que seu pai e sua mãe estão fazendo um favor porque você não tinha outra referência profissional.

7 – Carregar o currículo com jargões do mundo dos negócios
Não há nada de errado em usar alguns jargões para mostrar as credenciais, já que os profissionais querem mostrar que sabem sobre o que estão falando. Mas, uma linguagem muito empresarial pode fazer o currículo parecer desinteressante, especialmente se as palavras utilizadas forem 99,9% iguais às dos outros candidatos.

8 – Se contentar com um salário mais baixo para conseguir o emprego
Segundo o artigo da “Forbes”, 42% dos profissionais se sentem desconfortáveis em negociar o salário, o que pode levá-los a perder mais de US$ 500 mil quando atingirem a idade de 60 anos. Aceitar um salário mais baixo em um novo emprego pode fazer o profissional se sentir sobrecarregado e mal remunerado. Por isso, é importante não ter medo de negociar a real pretensão salarial. Os empregadores não se importam se você negociar e ser honesto, já que eles preferem negociar antes da contratação do que ouvir um pedido de aumento logo após o início do novo trabalho.

9 – Ligar para o potencial empregador
Os profissionais não devem achar que por não receberem um retorno do potencial empregador significa que eles não serão contratados. Muitas companhias contratam durante seu período de crescimento, o que quer dizer que eles estão muito ocupados para responder imediatamente aos candidatos. Quem não tiver um retorno até uma semana após a entrevista, pode ligar para a empresa para saber o status da contratação. E antes de terminar a entrevista, é importante que o candidato pergunte quando terá um retorno e assim será possível ter uma ideia do prazo.

10 – Negligenciar os perfis das redes sociais
Os gerentes de recrutamento vão fazer uma checagem preliminar de antecedentes nas redes sociais, por isso, é importante estar preparado. Mesmo quando o trabalhador não tem nada flagrantemente inadequado nos seus perfis, é sempre uma boa ideia ajustar as configurações de privacidade e esconder a vida pessoal dos potenciais empregadores.

Fonte: http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/noticia/2013/11/veja-10-dicas-do-que-nao-fazer-durante-procura-por-emprego.html